Hansenologia Internationalis ISSN 1982-5161 Submeter Artigo

Normas de Submissão

Estas normas visam orientar os autores para o processo de preparação e submissão de suas descobertas científicas à revista Hansenologia Internationalis: hanseníase e outras doenças infecciosas. As referidas normas estão resumidas no “Writing and Editing for Biomedical Publication” http://www.icmje.org/recommendations/

Os artigos devem ser obrigatoriamente, submetidos eletronicamente usando o SGP Sistema de Gestão de Publicações da Hansenologia Internacionalis por meio do link http://www.sgponline.com.br/hi/sgp/default.asp .Para tanto o autor deverá se cadastrar no sistema para receber seu login e senha. Passos para cadastro e submissão acesse : http://www.sgponline.com.br/hi

 

Instruções aos autores

Objetivo e política editorial

A revista Hansenologia Internationalis: hanseníase e outras doenças infecciosas é órgão oficial Instituto Lauro de Souza Lima, da Secretaria de Estado da Saúde, da Coordenadoria de Serviços de Saúde e também da Sociedade Brasileira de Hansenologia. Sua publicação é semestral e visa a divulgação de trabalhos científicos no campo da hanseníase e de outras doenças infecciosas além de proporcionar interação entre todos aqueles que lutam pelo controle dessas doenças. Publica trabalhos científicos de pesquisadores nacionais ou estrangeiros que se enquadrem no escopo da Revista e em suas exigências redatoriais e aceita contribuições nas categorias pertinentes à estrutura da revista, exceto editoriais que serão publicados por solicitação do  Corpo Editorial.
Estrutura da revista: Editorial 1. Artigos originais de investigação científica; 2. Trabalhos de revisão; 3. Estudos de casos clínicos; 4. Descrição/apresentação de experiências bem sucedidas no serviço público; 5. Comentários; 6. Cartas ao editor 

 

Normas editoriais

Serão submetidos à aprovação dos conselhos editorial e científico e dos referees artigos originais inéditos. Os originais recebidos serão encaminhados a pelo menos dois especialistas para emissão de pareceres, um terceiro parecerista poderá ser convidado caso as avaliações anteriores resultem em dúvidas quanto ao aceite ou não do original. Nomes de autores e referees são mantidos sob sigilo. Os autores serão informados quanto aos pareceres emitidos. Havendo necessidade de modificações, estas serão sugeridas ao autor, que deverá fazer a alteração/revisão.

  1. Antes de ser enviado para a Revista os autores devem examinar o artigo a fim de verificar se foram cumpridas as instruções. Artigos que não cumprirem as instruções serão devolvidos para que sejam reformulados.
  2. As opiniões emitidas são de inteira responsabilidade dos autores, não refletindo a opinião do Conselho Editorial.
  3. O artigo receberá a apreciação inicial dos Editores para depois ser encaminhado aos referees.
  4. Após a aprovação, o artigo entra na lista por ordem de chegada aguardando a vez de ser publicado;
  5. Os originais serão publicados em português, espanhol, inglês, francês ou italiano. Originais em língua não portuguesa ou espanhola devem vir acompanhadas de sua versão em português ou espanhol. Para as publicações em língua portuguesa ou espanhola, o resumo em inglês é obrigatório. Para originais em língua não portuguesa ou espanhola resumo em português ou espanhol é obrigatório.
  6. A equipe de redação se reserva no direito de introduzir alterações nos originais, visando manter a homogeneidade e a qualidade gramatical da publicação, respeitando o estilo e as opiniões dos autores.
  7. Os originais deverão ser acompanhados dos termos de transferência dos direitos autorais para a Hansenologia Internationalis: hanseníase e outras doenças infecciosas e termo de responsabilidade, assinada por todos os autores. Os termos de transferência de direitos autorais e de responsabilidade, devem ser assinado por todos os autores, em formulário único ou individual, salvos em pdf e anexados no processo de submissão do artigo, mediante login e senha por meio eletrônico. 
  8. Revisão ortográfica prévia, exatidão das referências constantes da listagem e a correta citação no texto e nas referências são responsabilidades dos autores.

 

Ética em pesquisas envolvendo seres humanos

A publicação de artigos que trazem resultados de pesquisas envolvendo seres humanos está condicionada ao cumprimento dos princípios éticos contidos na Declaração de Helsinki (1964, reformulada em 1975, 1983, 1989, 1996, 2000 e 2008), da Associação Médica Mundial.
Além disso, deve ser observado o atendimento a legislações específicas (quando houver) do país no qual a pesquisa foi realizada.
Artigos que apresentem resultados de pesquisas envolvendo seres humanos deverão conter uma clara afirmação deste cumprimento (tal afirmação deverá constituir o último parágrafo da seção Material e Métodos do artigo).
O Conselho Editorial da Revista Hansenologia Internationalis: hanseníase e outras doenças infecciosas se reserva o direito de solicitar informações adicionais sobre os procedimentos éticos executados na pesquisa.

 

 

Preparo do manuscrito

Os manuscritos devem ser  submetidos através do seguinte endereço: www.sgponline.com.br/hi

  1. usar abreviaturas padronizadas e, quando citadas pela primeira vez devem ser acompanhadas de explicação do seu significado;
  2. não utilizar abreviaturas no título, resumo ou abstract.

Ilustrações:

O número de figuras deve limitar-se ao indispensável à apresentação dos resultados, ideal não exceder a 5. As ilustrações incluem tabelas, quadros, gráficos, fotos, mapas, desenhos e outros recursos gráficos necessários à compreensão do exposto. As ilustrações propostas devem vir numeradas em algarismos arábicos, com título descritivo conciso. Todos os dados das ilustrações inclusive o título devem ser em caixa baixa ou Alta-baixa, exceto as siglas. Ilustrações já publicadas devem mencionar a fonte e anexar a permissão do autor para reprodução. As fotografias não devem permitir a identificação do paciente, caso exista esta possibilidade, é obrigatória a inclusão de documento formal de consentimento para a publicação. Não serão aceitas figuras que representam os mesmos dados das Tabelas.

Tabelas. As tabelas podem ter até 17cm de largura, considerando fonte de tamanho 9. Devem ser submetidas em arquivo de texto: DOC (Microsoft Word), RTF (Rich Text Format) ou ODT (Open Document Text). As tabelas devem ser numeradas (números arábicos) de acordo com a ordem em que aparecem no texto. 

Figuras. Os seguintes tipos de figuras serão aceitos por CSP: Mapas, Gráficos, Imagens de Satélite, Fotografias e Organogramas, e Fluxogramas. 
Os mapas devem ser submetidos em formato vetorial e são aceitos nos seguintes tipos de arquivo: WMF (Windows MetaFile), EPS (Encapsuled PostScript) ou SVG (Scalable Vectorial Graphics). Nota: os mapas gerados originalmente em formato de imagem e depois exportados para o formato vetorial não serão aceitos. 

Os gráficos devem ser submetidos em formato vetorial e serão aceitos nos seguintes tipos de arquivo: XLS (Microsoft Excel), ODS (Open Document Spreadsheet), WMF (Windows MetaFile), EPS (Encapsuled PostScript) ou SVG (Scalable Vectorial Graphics).

As imagens de satélite e fotografias devem ser submetidas nos seguintes tipos de arquivo: TIFF (Tagged Image File Format) ou BMP (Bitmap). A resolução mínima deve ser de 300dpi (pontos por polegada), com tamanho mínimo de 17,5cm de largura. 
Os organogramas e fluxogramas devem ser submetidos em arquivo de texto ou em formato vetorial e são aceitos nos seguintes tipos de arquivo: DOC (Microsoft Word), RTF (Rich Text Format), ODT (Open Document Text), WMF (Windows MetaFile), EPS (Encapsuled PostScript) ou SVG (Scalable Vectorial Graphics). 

As figuras devem ser numeradas (números arábicos) de acordo com a ordem em que aparecem no texto. 

Títulos e legendas de figuras devem ser apresentados em arquivo de texto separado dos arquivos das figuras. 

Formato vetorial. O desenho vetorial é originado a partir de descrições geométricas de formas e normalmente é composto por curvas, elipses, polígonos, texto, entre outros elementos, isto é, utilizam vetores matemáticos para sua descrição. 

 

Ordem e regras de apresentação:
A apresentação do original deve seguir a seguinte ordem:

  1. Título completo em português/espanhol e inglês se artigo em português ou espanhol, para artigos em língua inglesa, francesa ou italiana título na língua do artigo e em português ou espanhol digitados em caixa alta-baixa,   
  2. No campo para a carta ao Editor mencionar sobre o título: a) se foi subvencionado - indicar a agência de fomento que concedeu o auxílio; b) se baseado em tese acadêmica - indicar o título, ano e instituição onde foi apresentada;
  3. No passo 3 informar os nome(s) completos do(s) autor(es),  e especificar  nos campos apropriados: título acadêmico mais alto e afiliação institucional atual. 

Estrutura do texto

1) Artigos originais de investigação científica deverão ter a seguinte estrutura formal: Resumo e Abstract, Introdução, Objetivo, Material e Métodos, Resultados, Discussão e  Conclusões, Agradecimentos; Referências e Anexos (se houver);

2) Trabalhos de revisão:

Revisão sistemática e meta-análise - Por meio da síntese de resultados de estudos originais, quantitativos ou qualitativos, objetiva responder à pergunta específica e de relevância para a saúde pública. Descreve com pormenores o processo de busca dos estudos originais, os critérios utilizados para seleção daqueles que foram incluídos na revisão e os procedimentos empregados na síntese dos resultados obtidos pelos estudos revisados (que poderão ou não ser procedimentos de meta-análise).

Revisão narrativa/crítica - A revisão narrativa ou revisão crítica apresenta caráter descritivo-discursivo, dedicando-se à apresentação compreensiva e à discussão de temas de interesse científico no campo da Saúde Pública. Deve apresentar formulação clara de um objeto científico de interesse, argumentação lógica, crítica teórico-metodológica dos trabalhos consultados e síntese conclusiva. Deve ser elaborada por pesquisadores com experiência no campo em questão ou por especialistas de reconhecido saber.

3) Estudos de Casos clínicos: Resumo, História clínica, Discussão, Referências e Anexos (ilustrações).

4) Descrição/apresentação de experiências bem sucedidas no serviço público

Deverão seguir a seguinte estrutura formal: Resumo e Abstract, Introdução, Objetivo, Material e Métodos, Resultados, e Conclusões, Agradecimentos; Referências e ilustrações;

5. Comentários: Visam a estimular a discussão, introduzir o debate e alimentar as controvérsias sobre aspectos relevantes da saúde pública e ou de um contexto particular de doenças. O texto deve ser organizado em tópicos ou subitens destacando na Introdução o assunto e sua importância. As referências citadas devem dar sustentação aos principais aspectos abordados no artigo. O formato do resumo é narrativo.

6. Cartas ao editor: não deve exceder 600 palavras e 5 referencias.

 

Resumos e abstract: no máximo 250 palavras dispostas em um único parágrafo em espaçamento simples. Deve ser informativo e não indicativo, apresentando o objetivo do trabalho, materiais e métodos, resultados alcançados e conclusão. Não usar abreviaturas ou citações bibliográficas. Um mínimo de 3 e um máximo de 6 palavras-chave e key words devem ser apresentadas, em minúscula e separadas por ponto-e-vírgula. As palavras-chaves devem constar nos Descritores em Ciências da Saúde (DeCS), disponíveis em http://decs.bvs.br/, que apresenta também as key words relacionadas.

Introdução: clara, objetiva, contendo informações que justifiquem o trabalho, restringindo as citações ao necessário e pertinente ao campo de investigação. 

Material e Métodos: descrição concisa, sem omitir o essencial para a compreensão e reprodução do trabalho. Métodos e técnicas já estabelecidos devem ser referidos por citação sempre que aplicável, devem ser indicados os Comitês Éticos que avaliaram o processo dos estudos humanos ou as normas seguidas para a proteção e tratamentos experimentais dos animais. Esse item deve conter quando pertinente, o sujeito da pesquisa, o delineamento do estudo, os procedimentos específicos, a análise dos dados e os aspectos éticos.

Resultados: sempre que necessário devem ser acompanhados por tabelas, figuras ou outras ilustrações auto-explicativas. Texto e documentação devem ser complementares. Quando aplicáveis, os dados deverão ser submetidos à análise estatística. O conteúdo deve ser informativo, não interpretativo.

Discussão: limitar-se aos resultados obtidos e conter somente as referências necessárias. O conteúdo deve ser interpretativo e as hipóteses e especulações formuladas com base nos achados. O texto deve ser argumentativo onde o  autor valida suas conclusões.A

Conclusões:  apresentar as conclusões relevantes, respondendo essencialmente os objetivos do trabalho. A conclusão deve ser redigida no tempo verbal presente.

Apêndices e anexos: podem ser empregados no caso de listagens extensivas, estatísticas e outros elementos de suporte.

Agradecimentos: restringir-se às pessoas físicas ou jurídicas que substancial e efetivamente contribuíram com o estudo.

Fonte de Financiamento: O(s) autor(es) deverá(ão) informar se o trabalho recebeu ou não financiamento.

Referências: Adota normas internacionais estabelecidas no documento “International Committee of Medical Journal Editors (ICMJE) Recommendations for the Conduct, Reporting, Editing and Publication of Scholarly Work in Medical Journals: Sample References”, disponível em: .

As referencias devem ser digitadas em minúsculas, sem ponto entre as abreviaturas, em espaço duplo, numeradas e organizadas em ordem de aparecimento no texto pelo último sobrenome do autor. Os títulos de periódicos devem ser referidos de forma abreviada, de acordo com abreviatura oficial do periódico, que pode ser consultado no Portal de Revistas Científicas em Ciências da Saúde da BVS, no endereço: http://portal.revistas.bvs.br/ ou para os periódicos internacionais no Index Medicus, no endereço: http://www2.bg.am.poznan.pl/czasopisma/medicus.php?lang=eng ou NLM Catalog, endereço: http://www.ncbi.nlm.nih.gov/nlmcatalog/journals, caso o periódico não tenha abreviatura, usar o nome por extenso. 
Referências à comunicação pessoal e artigos submetidos à publicação não devem constar da listagem de Referências. Sugere-se fortemente que não sejam utilazados  citações/referências de monografias de conclusão de curso de graduação, de trabalhos de Congressos, Simpósios, Workshops, Encontros, entre outros, e de textos não publicados (aulas, entre outros).Sempre que possível incluir o DOI do documentado citado.

A identificação das referências no texto, nas tabelas e figuras devem ser feitas por números arábicos sobrescritos e sem parênteses, por ordem de entrada no texto e correspondendo ao respectivo número de ordem na lista de referências. Quando se tratar de citação seqüencial separe os números por traço (ex: 1-5); quando intercalados use vírgula (ex: 1,5,7). Para autores referidos nominalmente no texto, apresente o primeiro  em caixa baixa, seguido do número da referência sobrescrita e sem parênteses.

Exemplo: Terris et al.8, atualizam a clássica definição de saúde pública elaborada por Winslow. O fracasso do movimento de saúde comunitária, artificial e distanciado do sistema de saúde predominante parece evidente 9,12,15.

Artigo de periódico

Alves CRP, Ribeiro MMF, Melo EM, Araújo MG. Teaching of leprosy: current challenges. An Bras Dermatol. 2014;89(3):454-9.

Artigo em suporte eletrônico

Sichieri R, Moura EC. Análise multinível das variações no índice de massa corporal entre adultos, Brasil, 2006. Rev Saúde Pública [Internet]. 2009 [acesso 2009 dez 18]; 43(Suppl.2):90-7. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php? script=sci_arttext&pid=S0034-89102009000900012&lng=pt&nrm=iso>. doi: 10.1590/S0034-89102009000900012.

Livro

Escott-stump S, Mahan KL, Raymond JL. Krause: alimentos, nutrição e dietoterapia. 13a ed. Rio de Janeiro: Elsevier; 2013.
Lyon S, Grossi MAF. Hanseníase. Rio de Janeiro: MedBook; 2013.

Documento eletrônico

World Health Organization. Leprosy elimination: programmes and projects, 2012 [Internet]. Geneva: WHO; 2013. [citado em 2013 Nov 28] Disponível em: http://www.who.int/lep/en/.

 

Declaração de responsabilidade (.doc)

Modelo

Eu, nome do autor, RG e no do conselho ao qual é filiado (havendo co-autores, inserir pela ordem de entrada no artigo incluindo os mesmos dados solicitados ao autor), certifico que participei da concepção do trabalho: “título” para tornar pública minha responsabilidade pelo seu conteúdo, que não omiti quaisquer ligações ou acordos de financiamento entre os autores e companhias que possam ter interesse na publicação deste artigo.
Certifico também que o manuscrito é original e que o trabalho, em parte, ou na íntegra; ou qualquer outro trabalho com conteúdo substancialmente similar, de minha autoria, não foi enviado a outra Revista e não o será enquanto sua publicação estiver sendo considerada pela Revista Hansenologia Internationalis, quer seja no formato impresso ou eletrônico.

 

Local, data
Assinatura

 

Transferência de Direitos Autorais (.doc)

“Declaro/declaramos que, em caso de aceitação do artigo, a Revista Hansenologia Internationalis, passa a ter todos os direitos autorais sobre o mesmo. O Artigo será de propriedade exclusiva da Revista, sendo vedada qualquer reprodução, total ou parcial, em qualquer outra parte ou meio de divulgação, impressa ou eletrônica, sem que a prévia e necessária autorização seja solicitada e, se obtida, farei constar o competente agradecimento à Revista”.
Autor principal (nome, RG e número do conselho ao qual é filiado) e co-autores, pela ordem de entrada no artigo incluindo os mesmos dados solicitados ao autor.
Nota: ambos os termos devem estar assinados por todos. Na ausência de um dos autores ou em casos de trabalhos interinstitucionais cada autor pode mandar sua declaração em separado.

 

Local, data
Assinatura

 

Secretaria de Estado da Saúde Coordenadoria de Serviços de Saúde;as Instituto Lauro de Souza Lima Fundação Paulista contra Hanseníase

Copyright© Hansenologia Internationalis 2017 Todos os Direitos ReservadosGN1