Hansenologia Internationalis ISSN 1982-5161 Submeter Artigo

Normas de Submissão

Objetivo e política editorial

A revista  Hansenologia Internationalis: hanseníase e outras doenças infecciosas  é órgão oficial do Instituto Lauro de Souza Lima, pertencente à Coordenadoria de Serviços de Saúde da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo, e também da Sociedade Brasileira de Hansenologia. Sua publicação é semestral e visa à divulgação de trabalhos científicos no campo da hanseníase e de  outras doenças infecciosas,  além de proporcionar interação entre todos aqueles que lutam pelo controle dessas doenças. Publica trabalhos científicos de pesquisadores nacionais ou estrangeiros que se enquadrem no escopo da Revista e em suas exigências redatoriais, também aceita contribuições nas categorias pertinentes à estrutura da revista, exceto Editoriais que serão publicados por solicitação do Conselho Editorial.


Estrutura da revista:   1. Editorial;   2. Artigos originais; 3. Trabalhos de revisão; 4. Estudos de Caso Clínico; 5. Pontos de vista; 6. Cartas ao editor. 

Só serão encaminhados ao Conselho Editorial os manuscritos que estejam rigorosamente de acordo com as normas abaixo especificadas. Manuscritos que não se enquadrem nas normas editoriais serão imediatamente recusados.

Instruções aos autores

Estas normas visam orientar os autores para o processo de preparação e submissão de suas descobertas científicas à revista Hansenologia Internationalis: hanseníase e outras doenças infecciosas.  

Os manuscritos devem ser obrigatoriamente submetidos eletronicamente usando o Sistema de Gestão de Publicações da revista, para tanto, o autor deverá se cadastrar no sistema para receber seu login e senha, através do endereço:   http://www.sgponline.com.br/hi/

Normas editoriais

Serão submetidos à aprovação dos conselhos editorial e científico e dos  referee s artigos originais inéditos. Os originais recebidos serão encaminhados ao menos a dois especialistas para emissão de pareceres ( peer review ), e um terceiro parecerista poderá ser convidado caso as avaliações anteriores resultem em dúvidas quanto ao aceite ou não do manuscrito. Nomes de autores e referees são mantidos sob sigilo. Os autores serão informados quanto aos pareceres emitidos. Havendo necessidade de modificações, estas serão sugeridas ao autor, que deverá fazer a alteração/revisão.

  1. Ao enviar o manuscrito para a Revista os autores devem examina-lo atentamente, a fim de verificar se foram cumpridas todas as instruções. As opiniões emitidas são de inteira responsabilidade dos autores, não refletindo a opinião do Conselho Editorial.

  2. O artigo receberá a apreciação inicial dos Editores para depois ser encaminhado aos  referees .

  3. Após a aprovação, o artigo entra na lista por ordem de chegada aguardando a vez de ser publicado;

  4. A revista publica artigos originais em português, espanhol e inglês. Se redigido originalmente em português ou espanhol, deverá acompanhar versão em inglês. Se redigido originalmente em inglês, deverá acompanhar versão de português. São obrigatórios os resumos na língua original do texto e sua versão em inglês.

  5. A equipe de redação se reserva no direito de introduzir alterações nos manuscritos, visando manter a homogeneidade e a qualidade gramatical da publicação, respeitando o estilo e as opiniões dos autores.

  6. Os manuscritos deverão ser obrigatoriamente acompanhados dos Termos de Transferência dos Direitos Autorais  para a revista Hansenologia Internationalis: hanseníase e outras doenças infecciosas , do  Termo de Responsabilidade e da Declaração de Potencial Conflito de Interesses . Todos os documentos devem ser assinados por todos os autores, em formulário único ou individual, salvos em pdf e anexados no processo de submissão do artigo no Sistema de Gerenciamento de Publicações.

  7. Revisão ortográfica prévia, exatidão das referências constantes da listagem e a correta citação no texto e nas referências são responsabilidades dos autores.

Ética em pesquisas envolvendo seres humanos

A publicação de artigos que trazem resultados de pesquisas envolvendo seres humanos está condicionada ao cumprimento dos princípios éticos contidos na   Declaração de Helsink , da Associação Médica Mundial. Também, deve ser observado o atendimento a legislações específicas (quando houver) do país no qual a pesquisa foi realizada. Artigos que apresentem resultados de pesquisas envolvendo seres humanos deverão conter uma clara afirmação deste cumprimento (tal afirmação deverá constituir o último parágrafo da seção Material/Casuística e Métodos do artigo). O Conselho Editorial da   revista Hansenologia Internationalis: hanseníase e outras doenças infecciosas se reserva o direito de solicitar informações adicionais sobre os procedimentos éticos executados na pesquisa.

Preparo do manuscrito

Os manuscritos devem ser  submetidos através do seguinte endereço:   www.sgponline.com.br/hi .

  1. usar abreviaturas padronizadas e, quando citadas pela primeira vez devem ser acompanhadas de explicação do seu significado;

  2. não utilizar abreviaturas no título, resumo ou abstract.

Ilustrações

O número de figuras deve limitar-se ao indispensável à apresentação dos resultados, ideal não exceder a 5. As ilustrações incluem tabelas, quadros, gráficos, fotos, mapas e outros recursos gráficos necessários à compreensão do exposto. Todos os dados das ilustrações, inclusive o título, devem ser em caixa alta-baixa, exceto siglas. Ilustrações já publicadas devem mencionar a fonte e quando produzidas pelo autor do manuscrito devem vir acompanhadas da expressão “Elaborado pelo autor”. Quando a ilustração for de autoria de terceiro, o(s) autor(es) do manuscrito submetido deverá anexar a permissão do autor original quanto a reprodução da ilustração.

Nas fotografias, quando houver imagem de paciente, este deve estar tarjado, não permitindo a sua identificação, caso não seja possível ocultar a identidade do paciente é obrigatório a inclusão de documento formal de consentimento para a publicação.

Não serão aceitas figuras que representam os mesmos dados das Tabelas.

Todas as ilustrações devem ser identificadas quanto ao tipo e numeradas (números arábicos) de acordo com a ordem em que aparecem no texto, com título descritivo conciso.  Títulos e legendas de figuras devem ser apresentados em arquivo de texto separado dos arquivos das figuras. 

Todas as ilustrações devem possuir um título ou legenda explicativa: a ilustração e sua legenda devem ser autossuficientes, ou seja, deve permitir compreender que informação esta sendo transmitida; ser mencionada e discutida no texto e ser editável.

Figura 1 - Regras para submissão de imagens

Ilustrações

Formato

Dimensão e resolução

Notas

Tabela e quadro

DOC, FTF, ODT

Até 17cm de largura, considerando fonte de tamanho 9

 

Mapa

WMF, EPS, SVG

 

Formato vetorial. Mapas gerados originalmente em formato de imagem e exportados para o formato vetorial não serão aceitos. 

Gráfico

XLS, ODS, WMF, EPS, SVG

 

Arquivo de texto ou em formato vetorial

Fotografia

TIFF, BMP

Mínimo de 300dpi, tamanho mínimo 17,5cm largura.

 

Organograma e Fluxograma

DOC, RTF, ODT, WMF, EPS, SGV

 

Arquivo de texto ou em formato vetorial

Ordem e regras de apresentação

Página de rosto

A página de rosto do manuscrito deve apresentar os seguintes itens:

  1. Título completo em português e inglês, para manuscritos redigidos originalmente em português e inglês, ou em espanhol e inglês para manuscritos redigidos originalmente em espanhol. Usar caixa alta-baixa na formatação.

  2. Título abreviado em caixa alta-baixa, seguindo as mesmas orientações sobre idioma do item acima;

  3. Mencionar após o título: a) se foi subvencionado - indicar a agência de fomento que concedeu o auxílio; b) se baseado em tese acadêmica - indicar o título, ano e instituição onde foi apresentada;

  4. Informar os nome(s) completos do(s) autor(es) e especificar  nos campos apropriados sua titulação acadêmica (nível mais alto) e afiliação institucional atual. Do autor principal é obrigatório informar seu ORCID (Identificação única do autor), dos demais autores essa informação é opcional.

T ipos de manuscrito

1) Editorial : escritos a convite do editor, considerando os tópicos e enfoque da revista, pode conter até 1.500 palavras, sem resumo e palavras-chave, e até 5 referências para dados numéricos.

2)   Artigos originais : devem relatar pesquisas originais que não tenham sido publicadas ou consideradas para publicação em outros periódicos. O manuscrito deve conter: Título, Resumo e Abstract, Texto do manuscrito (Introdução, Objetivo, Material/Casuística e Métodos, Resultados e Discussão), Conclusões, Agradecimentos, Referências, Apêndices e Anexos (se houver).

3)   Artigos de revisão:

Revisão sistemática e meta-análise : Por meio da síntese de resultados de estudos originais, quantitativos ou qualitativos, objetiva responder à pergunta específica e de relevância para a saúde pública. Descreve com pormenores o processo de busca dos estudos originais, os critérios utilizados para seleção daqueles que foram incluídos na revisão e os procedimentos empregados na síntese dos resultados obtidos pelos estudos revisados (que poderão ou não ser procedimentos de  meta-análise ). O manuscrito deve conter: Título, Resumo e Abstract, Texto do manuscrito, Conclusões, Agradecimentos, Referências, Apêndices e Anexos (se houver).

Revisão narrativa/crítica : A revisão narrativa ou revisão crítica apresenta caráter descritivo-discursivo, dedicando-se à apresentação compreensiva e à discussão de temas de interesse científico no campo da Saúde Pública. Deve apresentar formulação clara de um objeto científico de interesse, argumentação lógica, crítica teórico-metodológica dos trabalhos consultados e síntese conclusiva. Deve ser elaborada por pesquisadores com experiência no campo em questão ou por especialistas de reconhecido saber. O manuscrito deve conter: Título, Resumo e Abstract, Texto do manuscrito, Conclusões, Agradecimentos, Referências, Apêndices e Anexos (se houver).

4)   Estudos de casos clínicos:  pesquisa que prospectivamente designa seres humanos para intervenção ou comparação simultânea ou grupos de controle para estudar a relação de causa e efeito entre uma intervenção profissional e um desfecho relacionado à saúde. Para a submissão de manuscritos na seção Estudos de Caso Clínico é obrigatório a inserção do número de registro do estudo ao final do resumo e o Termo de Consentimento Livre e Esclarecido (TCLE) ou Termo de Assentimento livre e esclarecido (TALE). A revista Hansenologia Internationalis aceita qualquer registro que satisfaça o International Comittee of Medical Journal Editors (ICMJE), para consulta a lista completa de todos dos registros de ensaio clínico, acesse http://who.int/ictrp/network/primary/en/index.html . O manuscrito deve conter: Resumo e Abstract, História clínica, Discussão, Referências, Apêndices e Anexos (se houver).

5) Pontos de vista:   Visam a estimular a discussão, introduzir o debate e alimentar as controvérsias sobre aspectos relevantes da saúde pública e ou de um contexto particular de doenças. O manuscrito deve conter: Introdução, Texto do manuscrito e Referências.

6) Cartas ao editor:  leitores são encorajados a escrever sobre qualquer tópico relacionado à hanseníase e outras doenças infecciosas de acordo com o escopo da revista. Não deve exceder 600 palavras, sem resumo e palavras-chave e pode tratar de material anteriormente publicado na revista, com até 5 referências.

A redação do texto deve respeitar as quantidades preestabelecidas de caracteres, referências e ilustrações de acordo com o tipo de manuscrito que será submetido à Revista. As quantidades permitidas de cada item seguem relacionadas na Figura 2:

Figura 2: Extensão do texto por tipo de manuscrito

 

Manuscrito

Editorial

Artigo Original

Artigo de Revisão

Estudo de Caso Clínico

Ponto de Vista

Carta

Quantidade

 

Nº máximo de autores

2

10

4

10

8

3

Título*

120

150

150

150

120

120

Título reduzido*

40

40

40

40

40

40

Resumo**

-

250

250

250

-

-

Texto do manuscrito***

1500

5000

6500

5000

2500

600

Referências (nº máximo)

5

40

80

40

20

5

Ilustrações (nº máximo)

2

8

8

8

2

1

*Caracteres incluindo espaços

**Número máximo de palavras

***Número máximo de palavras, incluindo as referências

Formatação do manuscrito

Título: deve ser conciso, claro e o mais informativo possível, identificando e individualizando o artigo científico. Não deve conter abreviações.

Titulo Abreviado: deverá conter a síntese do assunto.

Resumos e abstract:   texto de parágrafo único em espaçamento simples. Deve ser informativo e não indicativo, apresentando o objetivo do trabalho, materiais e métodos, resultados alcançados e conclusão. Não usar abreviaturas ou citações bibliográficas. Um mínimo de 3 e no máximo 6 palavras-chave (português e inglês) devem ser apresentadas, em minúscula e separadas por ponto-e-vírgula. As palavras-chaves e key words devem, preferencialmente, constar nos Descritores em Ciências da Saúde (DeCS) e Medical Subject Headings ( MESH).

Introdução:  clara, objetiva, contendo informações que justifiquem o trabalho, restringindo as citações ao necessário e pertinente ao campo de investigação. 

Material e Métodos:  descrição concisa, sem omitir o essencial para a compreensão e reprodução do trabalho. Métodos e técnicas já estabelecidos devem ser referidos por citação sempre que aplicável, devem ser indicados os Comitês Éticos que avaliaram o processo dos estudos humanos ou as normas seguidas para a proteção e tratamentos experimentais dos animais. Esse item deve conter quando pertinente, o sujeito da pesquisa, o delineamento do estudo, os procedimentos específicos, a análise dos dados e os aspectos éticos.

Resultados:  sempre que necessário devem ser acompanhados por tabelas, figuras ou outras ilustrações autoexplicativas. Texto e documentação devem ser complementares. Quando aplicáveis, os dados deverão ser submetidos à análise estatística. O conteúdo deve ser informativo, não interpretativo.

Discussão:   limitar-se aos resultados obtidos e conter somente as referências necessárias. O conteúdo deve ser interpretativo e as hipóteses e especulações formuladas com base nos achados. O texto deve ser argumentativo onde o  autor valida suas conclusões.

Conclusões:     apresentar as conclusões relevantes, respondendo essencialmente os objetivos do trabalho. A conclusão deve ser redigida no tempo verbal presente.

Apêndices e anexos:  podem ser empregados no caso de listagens extensivas, estatísticas e outros elementos de suporte.

Agradecimentos:  restringir-se às pessoas físicas ou jurídicas que substancial e efetivamente contribuíram com o estudo.

Fonte de Financiamento:  O(s) autor(es) deverá(ão) informar se o trabalho recebeu ou não financiamento.

Referências e citações

A identificação das referências no texto e nas ilustrações deve ser feitas por números arábicos sobrescritos e sem parênteses, por ordem de entrada no texto e correspondendo ao respectivo número de ordem na lista de referências. Quando se tratar de citação sequencial separe os números por traço, ou quando números intercalados use vírgula. Exemplo: 1-5 ou 1,5,7 . Para autores referidos nominalmente no texto, apresente o primeiro em caixa alta- baixa, seguido do número da referência sobrescrita. Exemplo: Terris  et al . 8 , atualizam a clássica definição de saúde pública elaborada por Winslow. O fracasso do movimento de saúde comunitária, artificial e distanciado do sistema de saúde predominante parece evidente 9,12,15 .

As referências citadas devem ser listadas ao final do artigo, em ordem numérica, de acordo com as normas internacionais estabelecidas no documento Recommendations for the Conduct, Reporting, Editing and Publication of Scholarly Work in Medical Journals, redigido pelo International Committee of Medical Journal Editors (ICMJE).

Os títulos de periódicos devem ser referidos de forma abreviada, de acordo com abreviatura oficial do periódico. Para periódicos nacionais consultar o Portal de Revistas Científicas em Ciências da Saúde da BVS e para os periódicos internacionais no NLM Catalog. Caso o periódico não tenha abreviatura, usar o nome por extenso. 

Referências à comunicação pessoal e artigos submetidos à publicação não devem constar da listagem de Referências.   Sugere-se fortemente que não sejam utilizados    citações/referências de  monografias  de conclusão de curso de graduação,  de trabalhos   de Congressos, Simpósios,  Workshops , Encontros, entre outros, e de  textos não publicados  (aulas, entre outros). As referências utilizadas para produção do texto devem ser impreterivelmente compostas por 70% de artigos originais publicados nos últimos 5 anos. Sempre que disponível deve-se incluir o DOI (Digital Object Identifier) ou link de acesso do documento citado.

Artigo de periódico

Alves CRP, Ribeiro MMF, Melo EM, Araújo MG. Teaching of leprosy: current challenges. An Bras Dermatol. 2014;89(3):454-9.

World Health Organization. Surveillance of drug resistance in leprosy 2010. Wkly Epidemiol Rec. 2011 Jun;23(3):237-40.

Artigo em suporte eletrônico com DOI

Andrade TCPC, Silva GV, Silva TMP, Pinto ACVD, Nunes AJF, Martelli ACC. Acrokeratosis verruciformis of Hopf - case report. An Bras Dermatol. 2016 Sept-Oct;91(5):639-41. doi: 10.1590/abd1806-4841.20164919.

Artigo em suporte eletrônico

Quando possível, use o endereço eletrônico que remeta diretamente ao arquivo PDF do artigo.

Cortezi MD, Silva MV. Abandono do tratamento da tuberculose em pacientes co-infectados com HIV, em Itajaí, Santa Catarina, 1999 – 2004. Bol Pneumol Sanit [Internet]. 2006 [cited 2016 Ago 12];14(3):145-52. Available from: http://scielo.iec.pa.gov.br/pdf/bps/v14n3/v14n3a04.pdf.

Vidaurre-Arenas M, Martinez-Piedra R, Castillo-Salgado C. Health metrics network: a global partnership to improve access to information for health care practitioners and policy-makers. Epidemiol Bulletin [Internet]. 2005 Jun [cited 2016 Nov 8];26(2):1-8. Available from: http://www1.paho.org/english/dd/ais/EB_v26n2.pdf.

Livro

Escott-stump S, Mahan KL, Raymond JL. Krause: alimentos, nutrição e dietoterapia. 13a ed. Rio de Janeiro: Elsevier; 2013.
 

Lyon S, Grossi MAF. Hanseníase. Rio de Janeiro: MedBook; 2013.

Capítulo de Livro

Garbino JA, Marques W Junior. A neuropatia da hanseníase. In: Alves ED, Ferreira IN, Ferreira TL, organizadores. Hanseníase: avanços e desafios. Brasília: Universidade de Brasília; 2014. p. 215-9.

Dissertação/Tese

Araújo RRDF. Educação conscientizadora na prática do enfermeiro em hanseníase [thesis]. Ribeirão Preto: Universidade de São Paulo, Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto; 2005.

Documento eletrônico

Ministério da Saúde (BR). Autocuidado em hanseníase: face, mãos e pés [Internet]. Brasília: Editora MS; 2010. [cited 2016 Nov 11]. Available from: http://portalsaude.saude.gov.br/images/pdf/2015/agosto/14/autocuidado-em-hanseniase3.pdf.

Homepage

ILEP [Internet]. Geneva: International Federation of Anti-Leprosy Associations; c2016. [updated 2016; cited 2016 Nov 8]. Available from: http://www.ilepfederation.org/.

Parte de Homepage

Portal da Saúde SUS [Internet]. Brasília: Ministério da Saúde; c2016. [updated 2014 Mar 27; cited 2016 Nov 8]. Tratamento; [about 3 screens]. Available from: http://portalsaude.saude.gov.br/index.php/o-ministerio/principal/leia-mais-o-ministerio/705-secretaria-svs/vigilancia-de-a-a-z/hanseniase/11299-tratamento.

Documento Legal

As recomendações dadas para formatação segundo o estilo de Vancouver se aplicam somente a documentos legais produzidos nos Estados Unidos da América. Portanto, para referenciar leis e outros documentos legais, verifique as normas e recomendações do país de origem do documento, já que a estrutura de uma lei muda de um lugar para o outro. Para documentos de origem brasileira use a ABNT-NBR-6023 – Informação e Documentação – Referências – Elaboração – ago. 2002.

BRASIL. Ministério da Saúde. Gabinete do Ministro. Portaria n° 3125, de 7 de outubro de 2010. Aprova as diretrizes para vigilância, atenção e controle da hanseníase. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil , Poder Executivo, Brasília, DF, 15 out. 2010. Seção 1, p.55. Disponível em: http://pesquisa.in.gov.br/imprensa/jsp/visualiza/index.jsp?jornal=1&pagina=55&data=15/10/2010. Acesso em: 04 jul. 2017.

Declaração de responsabilidade   (.doc)

Eu,   nome do autor, RG e no do conselho ao qual é filiado ( havendo co-autores, inserir pela ordem de entrada no artigo incluindo os mesmos dados solicitados ao autor), certifico que participei da concepção do trabalho: “ título ” para tornar pública minha responsabilidade pelo seu conteúdo, que não omiti quaisquer ligações ou acordos de financiamento entre os autores e companhias que possam ter interesse na publicação deste artigo. Certifico também que o manuscrito é original e que o trabalho, em parte, ou na íntegra; ou qualquer outro trabalho com conteúdo substancialmente similar, de minha autoria, não foi enviado a outra Revista e não o será enquanto sua publicação estiver sendo considerada pela Revista Hansenologia Internationalis, quer seja no formato impresso ou eletrônico.

Local, data

Assinatura

Transferência de Direitos Autorais   (.doc)

Declaro/declaramos que, em caso de aceitação do artigo, a Revista Hansenologia Internationalis, passa a ter todos os direitos autorais sobre o mesmo. O Artigo será de propriedade exclusiva da Revista, sendo vedada qualquer reprodução, total ou parcial, em qualquer outra parte ou meio de divulgação, impressa ou eletrônica, sem que a prévia e necessária autorização seja solicitada e, se obtida, farei constar o competente agradecimento à Revista”. Autor principal (nome, RG e número do conselho ao qual é filiado) e co-autores, pela ordem de entrada no artigo incluindo os mesmos dados solicitados ao autor.

Local, data

Assinatura

Nota: ambos os termos devem estar assinados por todos. Na ausência de um dos autores ou em casos de trabalhos interinstitucionais cada autor pode mandar sua declaração em separado.

Secretaria de Estado da Saúde Coordenadoria de Serviços de Saúde;as Instituto Lauro de Souza Lima Fundação Paulista contra Hanseníase

Copyright© Hansenologia Internationalis 2018 Todos os Direitos ReservadosGN1