Hansenologia Internationalis ISSN 1982-5161 Submeter Artigo

Vol. 27, Nº 1 (2002)



ARTIGO ORIGINAL

Grau de incapacidade: indicador de prevalência oculta e qualidade do programa de controle da hanseníase em um Centro de Saúde - Escola no município de Uberlândia - MG
Degree of incapacity: an indicator for hidden prevalence and program quality of leprosy control in a University Health Center in the Uberlandia District

Isabela Maria Bernardes Goulart1; Cristiane Moraes Dias2; Ana Carolina Souza Oliveira3; Amanda Ambrósio Silva4; Rodrigo Rodrigues Alves5; Camila Renault Quaresemin6; Daniela Pereira Silva7; Márcia Regina Ferreira Lopes8; Gustavo Andrade Faria9




Resumo

O longo período de incubação da hanseníase, seus sintomas e sinais insidiosos, assim como as deficiências operacionais no Programa de Controle, produzem dificuldades em seu diagnóstico. Essa situação cria condições para considerar que existe uma prevalência oculta que leva incapacidade ao doente e influi na cadeia de transmissão. Este trabalho objetivou aplicar indicadores para análises epidemiológica e operacional do Programa de Controle da Hansenfase no Distrito Sanitário Oeste, Uberlândia-MG, avaliando as incapacidades físicas dos pacientes como medida da qualidade do programa e estimativa de prevalência oculta. Foram analisados 138 prontuários de hansenianos diagnosticados no Centro de Saúde Escola da Universidade Federal de Uberlândia (CSE-UFU), de janeiro de 1995 a julho de 2000. No diagnóstico, 24% dos pacientes apresentaram algum grau de incapacidade, inclusive grau I, evidenciando diagnóstico tardio. Na alta, 68% dos pacientes que iniciaram o tratamento com grau zero permaneceram nesse grau e, entre aqueles que iniciaram com grau I, 61,5% mantiveram a condição, 23,1% regrediram para zero e 15,4% não tiveram registro. Os indicadores operacionais refletiram um atendimento de boa qualidade no CSE-UFU. A prevalência oculta estimada foi de 27 casos para o ano 2000, elevando a taxa de prevalência conhecida de 10,22/10.000 habitantes para uma taxa de prevalência real de 13,67/10.000, evidenciando uma endemia muito alta de hanseníase no Distrito Oeste. Discute-se a necessidade de adotar a avaliação do grau de incapacidades como indicador de morbidade e controle da doença nos vários níveis de atenção a fim de planejar ações para detectar os focos de endemia oculta nas comunidades.

Palavras Chave:
Hanseníase; Prevalência oculta; Programas de controle; Prevenção de incapacidades.


Abstract

The long incubation period of leprosy, its insidious symptoms and signs as much as the operational deficiency in control programs, produce difficulties with the diagnosis. This situation lead to a hidden prevalence, which may cause disability to the patient and will influence the chain of transmission. The aim of this paper it to apply indicators for the analysis of the leprosy epidemiological and operational control program in the Western Sanitary Division of the Uberlandia District, evaluating the disabilities of the patients as a measure of the program quality and estimating the hidden prevalence. One-hundred and thirty-eight (138) cases of leprosy patients diagnosed at the CSE - UFU, from January of 1995 to July of 2000. At diagnosis, 24 % of the patients presented some degree of disability (including grade p, evidence of a late diagnosis. At RFT, 68% of the patients that initiated the treatment with grade zero remained in the same grade, and among those that have initiated with grade I, 61,53% maintained the grade, and 23% returned to grade zero. The operational indicators show good quality assistance in CSE - UFU. The estimated hidden prevalence was 27 cases for the year 2000, increasing the known prevalence of 10.22/10,000 inhabitants to a real prevalence of 13.67/10,000, indicating a very high endemic leprosy in the Western District Region. We propose to use the degree of incapacity evaluation as an indicator of morbidity and disease.

KeyWords:
Leprosy; Hidden prevalence; Leprosy Control Programs; Prevention of disabilities.





DOWNLOAD PDF PORTUGUÊS ORIGINAL


Secretaria de Estado da Saúde Coordenadoria de Controle de Doenças Instituto Lauro de Souza Lima Fundação Paulista contra Hanseníase

Copyright© Hansenologia Internationalis 2017 Todos os Direitos ReservadosGN1